Chamada Urgente ao Movimento Quilombola e Social (É HOJE, dia 30/09, no INCRA em POA)

A Frente de Luta Quilombola encontra-se, neste momento, em mobilização nacional contra o terrorismo de estado e ataques da bancada ruralista que vêm agindo através de ameaças e assassinatos de Quilombolas, no campo e na cidade. 

 Acampados desde ontem na sede do INCRA em Porto Alegre, Quilombolas fazem vigília para exigir a volta do processo de demarcação e titulação do território Quilombola de Morro Alto(RS) e que vai adiante durante todo o dia de HOJE. Este foi enviado para Brasília arbitrariamente, deixando a comunidade em situação de vulnerabilidade aos mais variados tipos de violência.

 Esta mobilização está acontecendo em articulação desde Brasília, Rio Grande do Sul e Maranhão. Toda solidariedade a luta dos Quilombolas de Calunga e da Baixada Ocidental Maranhense.

 Pedimos apoio e presença ampla dos movimentos populares de Porto Alegre e do RS, HOJE, na sede do INCRA, em Porto Alegre (Av. Loureiro da Silva,115).

 Pela titulação dos territórios Quilombolas! Contra ADIN 3239 e o PDL 44/2007 perpetrado pelo DEM!


FRENTE NACIONAL EM DEFESA DOS TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS
FRENTE DE LUTA QUILOMBOLA E POPULAR-PORTO ALEGRE
 João Pedro Izé Jardim
Geografia/UFRGS – AGB/PA

MST faz ocupações em Viamão, Vacaria e Sananduva

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou três áreas no Rio Grande do Sul. As famílias Sem Terra ocupam as áreas para pressionar os governos federal e estadual para cumprir o acordo firmado em abril deste ano de assentar todos os trabalhadores e trabalhadoras acampadas hoje no estado.

 

Na região de Porto Alegre, mais de 300 trabalhadores ocupam uma área na RS 040, próximo ao posto do pedágio de Viamão. O local foi motivo de investigação da Polícia Federal que neste ano encontrou mais de 2 toneladas de maconha na área.

 

Em Vacaria, mais de 500 pequenos agricultores ocupam uma área de 400 hectares de terra próximo a BR 285, à 1km da entrada da cidade. A área, que é pública, foi destinada pelo governo para pesquisa e experimentos de plantas, mas não está sendo utilizada para esse fim.

 

Já em Sananduva, mais de 200 trabalhadores rurais Sem Terra ocupam uma área com mais de 300 hectares que poderia ser destinada para o assentamento das famílias acampadas hoje no estado.

 

O MST está mobilizado nas regiões para pressionar os governos federal e estadual para realizar o assentamento imediato das mil famílias acampadas hoje no estado. Em abril, o governo do estado, depois de um acordo com o governo federal, se comprometeu a assentar as famílias que se encontram acampadas embaixo da lona preta em todo o estado. Desde a assinatura do “Termo de Compromisso” com os camponeses, nenhuma família foi assentada.

 

Os trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra devem permanecer nas áreas por tempo indeterminado, pois compreendem que somente com a ocupação e resistência vão fazer com que o poder público realize a Reforma Agrária no país. As famílias só devem deixar os locais ocupados se os governos apresentarem soluções definitivas para o assentamento.
Fonte: Site do MST

 

 

 

 

Programação Rádio Quilombo de 24/09/2011

Mais um sábado de transmissões desobedientes na Restinga. Para ouvir e/ou baixar a programação desse dia, clique no nome do programa abaixo. Obrigado.

1)Rompendo o Cerco;

2)Movimentação;

3)Vivendo e Aprendendo;

4)Conversas de Maria (No próximo sábado, o áudio estará disponível).

 

 

 

 

 

 

O Largo é das pessoas, não dos carros!

O Largo é das pessoas, não dos carros!.

Secretário da SMIC desmerece ciclistas, pedestres e usuários do transporte público.

Secretário da SMIC desmerece ciclistas, pedestres e usuários do transporte público..

TRANSMISSÃO 17/09/2011

Pessoal, pedimos desculpas, mas este sábado não foi possível gravar a programação. No próximo sábado solucionaremos esse problema. Esperamos sua visita.

Obrigado.

NOVOS CURSOS NA ESCOLA TÉCNICA DA RESTINGA